domingo, 27 de abril de 2008

O sono.

Como pode nosso realcionamento com o sono ser tão complexo?
Quando bebês só dormimos, praticamente.
Quando crianças odiamos ter de ir dormir. Sempre queremos ver mais televisão ou brincar. Dormir era a coisa mais chata do mundo.
Então passamos para o estágio "não quero". Dormir? Não quero. Acordar? Não quero (menos ainda). Nada melhor do que ficar durmindo o máximo possível. Se for inverno então nem se fala.
Após existe o estágio de gostar de ir dormir e gostar de se manter domindo (quem me acordar por bobagem, por exemplo, é beneficiado com o prazer de sentir minha frustração de tanto que eu fico mal-humorado).
E, atualmente minha relação com o sono é das mais estranhas, tanto que muita gente duvida da veracidade do que me acontece. Eu sinto preguiça de ir dormir. Isso mesmo! Preguiça. Vai entender.
Ainda assim adoro dormir. É somente em sonhos que podemos estar 100% realizados. E recarregamos as energias! Mágico.





Postado por Ricardo Ceratti.

Um comentário:

Caio C. disse...

Bebê gosta, criança não gosta, adolescente gosta, adulto não gosta(?), velhos precisam.