quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

O assassino da mente.

Todos nós já tivemos nossos momentos de preguiça. Para alguns de nós ela dura apenas breves momentos mas para outros ela é um fiél (indesejada na maioria das vezes) companheira.
Infelizmente meu caso é o segundo. E também não é daquele tipo de preguiça boa que dá quando estamos nos aconchegando na cama. É o tipo avassalador que consome o dia inteiro mesmo tendo coisas a serem feitas. Exemplo real e simples: No começo das férias eu fiz uma "to do list" , ou seja, uma listinha com coisas a fazer. O mais engraçado é que a maioria delas transcendeu a listinha das férias de inverno. "Férias de inverno são curtas demais para fazer as coisas!" Anmram. E a de verão? Há um pouco mais de uma semana eu percebi, abismado, que o fim das férias já estava aí. Juro que não vi passar. Se alguém me dissesse "Estamos nos aproximando de fevereiro" eu acreditaria sem questionar. Continuando, uma das coisas da listinha era postar aqui com freqüência mas sempre tinha a disculpa de não ter assunto ou pior, não ter tempo. É piada, só pode. Falta de tempo?? Eu? "Ah é que quando me decido a fazer algo já está tarde..." é a desculpinha de sempre. Pior que dar desculpinhas só mesmo o que eu faço: desculpinhas pra si mesmo. E então comecei a escrever no drunken, muitas vezes me forçando. Até que acabaram os assuntos. Oba! Desculpinha nova! O pior de tudo era que assuntos surgiam mas dava preguiça de anotar e depois eu esquecia. É não querer se ajudar né?
Acredito que com esse exemplo pessoal a idéia tenha sido entendida. A preguiça nos desmotiva para fazermos coisas que são úteis para nós, que nos ajudariam e até mesmo nos tirariam da preguiça. Já notou que quanto mais coisas (úteis de preferência) se faz, menos preguiça se sente (a não ser quando acabam as energias)? Pois é, a coisa funciona em ciclos viciosos. É como se a preguiça fosse aquela doença latente que espera nos distrairmos para atacar. Quanto mais preguiça sentimos, menos fazemos, quanto menos fazemos, mais preguiça dá.
A solução é simples, porém complexa. É tomar vergonha na cara, ir à luta, fazer coisas úteis, "botar trabalho nesse corpo" como dizem nossos pais. Quando começamos a fazer algo nos bate um rush, uma adrenalina que motiva a fazer mais coisas. Uma "pilha". Ver resultado do que se faz então é o melhor incentivo. "Simplinho non"? Nem pensar! É um problema de física que, apesar de eu não entender muito de física, tentarei explicar. Um corpo em repouso precisa um esforço muito grande para vencer o atrito, vencer a força estática para se colocar em movimento. Mas, depois de posto em movimento tudo fica mais fácil, só acelera.
Então o que realmente precisa? Juntar muita força de vontade para levantar a bunda da frente da TV ou do computador e empurrar o máximo que puder do seu peso estático.
Eu dei o primeiro passo para vencer o meu: Estava há dias enrolando para escrever aqui. Dei o segundo passo também: Me convenci de amanha ir fazer algumas coisas no intuito de riscar uns itens da minha listinha antes de segunda.
Espero que este texto ajude alguma entediada alma a se por em movimento.




Postado por Ricardo Ceratti

3 comentários:

Isa disse...

Como tu mesmo me disse, as vezes quando estamos com preguiça paracemos the sims mal humorados. Temos mil coisas pra fazer, e podemos até querer fazê-las, gostar de fazê-las... mas simplesmente não conseguimos ânimo pra isto. Concordo plenamente contigo para o que eu acho que é então a solução: esforço. Com um pouco de esforço saímos mesmo da cadeira/sofá/cama e começamos a fazer o q temos/queremos fazer. Principalmente se for algo que gostamos de fazer, vai se tornar cada vez mais fácil... com os resultados do trabalho vemos que vale muito a pena o esforço inicial e assim temos cada vez mais motivação pra passar desta fase de "ameba" em que nos encontramos quando temos essa preguiça e seguir pra fazer novas coisas e com isto, obter novos resultados, que definitivamente, serão muito melhores do que ficar apenas mofando ;)

The Drunken Scientist disse...

Pois é! Se a barrinha de felicidade tiver muito baixa a coisa complica. =[
O melhor jeito, na minha opinião, é aumentar a barrinha de higiene e tomar um bom dum banho! =D

Fabiana disse...

Eu fui no cinema e uma carinha perguntou quando estreiaria XXXXX e a moça respondeu que seria em abril.
Entrei reclamando "uau, eles tão anunciando um filme pro ano que vem?"

parei em dezembro e não percebi.

alguém restarta 2008?