sexta-feira, 20 de março de 2009

Tempestade.

É do conhecimento popular o dito "a calmaria que antecede a tempestade".
Mas acabamos não nos dando conta que o inverso também ocorre.
Muitas vezes as tempestades destróem tudo em seu caminho. Mas, muitas vezes elas servem como seleção natural, destruindo o que está fraco, o que não está certo, bom.
A tempestade pode ser desestruturante enquanto ocorre e até algum tempo depois, mas ela tem uma certa tendência a colocar as coisas em seu devido lugar. Acredito que seja uma força organizadora.
Vendo por este lado, de destruidora do que está errado ou fraco e organizadora, eu não vejo motivo para temê-la. Pelo contrário, a anseio.
Obviamente que não existe vida se uma tempestade vier seguida da outra constantemente. As coisas precisam de tempo para se assentarem, se estabilizarem. A poeira precisa baixar.
Depois que baixa é hora de reconstruir e desfrutar antes que a próxima tempestade faça novamente sua seleção natural.




Postado por Ricardo Ceratti.