quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Quedas.

Em meu ímpeto de ajudar, de cuidar, de proteger, acabe não permitindo uma caminhada com as próprias pernas.
Mesmo me esforçando para não fazê-lo, para não ocupar tal papel.
Não vi. Entrou no meu ponto-cego. Não me via fazendo isso.
Mas fiz.
Quem sabe agora ela caia.
O que eu não deixava acontecer.
Quem sabe caia e aprenda a se levantar.
Quem sabe com a queda aprenda a não cair mais. Aprenda a se equilibrar.
Quem sabe?
Talvez minha ajuda, atrapalhava.
Não sei.
Cedo demais para saber.
Tarde demais para meu gosto.
Tempo, faz um favor pra mim?
Nunca te pedi nada (fora voltar no tempo, coisa que não ganhei!!).
Te peço isso: Passa rápido, ok?
Só dessa vez.
Passa rápido, faça o aprendizado acontecer num instante, faça a dor não precisar mais doer, faça com que tudo funcione, volte a ser bom. Melhor!
É... agora é ver cair... de braços cruzados.
Cruel.




Postado por Ricardo Ceratti.