terça-feira, 25 de novembro de 2008

Egoísmo

Eu fico realmente impressionado como a troca de idéias é criativa e produtiva.
Outro dia eu estava explicando para uma amiga a minha visão sobre a pesquisa.
Ela havia conseguido me convencer da importância de saber tudo (ou quase) do assunto, para que a teoria não seja refutada, para teoria ser realmente forte pelo seu embasamento.
Realmente, em uma visão individualista isto parece ser o melhor caminho.
O problema é que eu não concordo com a construção "individual".
Acredito que a melhor forma de se construir um conhecimento é grupalmente, através tanto das idéias de cada indivíduo, quanto das idéias que surgem em cada um do estímulo das idéias dos outros participantes.
Esta troca não só proporciona a criação de pensamentos novos, como também facilita que sejam encontradas e consertadas as eventuais brechas, erros.
Mas... esta forma de pensar o pensar não é nada novo. Muito pelo contrário, se trata de algo realmente antigo.
Então, onde nos perdemos? Qual foi o desvio do caminho que nos levou a um método menos eficiente de produzir conhecimento?
Acredito que a resposta deva estar no nosso tão cultuado Individualismo.
A necessidade de reconhecimento, de glórias, nos levou ao egoísmo intelectual.
Queremos todo crédito pelas nossas idéias e invenções.
Precisamo estar o tempo inteiro competindo uns contra os outros.
Talvez nós, humanidade, sejamos uma criança mimada e meio lentinha, que já deveria ter passado da fase de ser egoísta e ter aprendido a dividir os "brinquedos".
Todos lembramos bem do que acontecia com a criança com atitudes de "EU sou o dono da bola!!!", não? Pois parece ser nosso tão produtivo destino.




Postado por Ricardo Ceratti.