quinta-feira, 9 de julho de 2009

País sério.

Eu moro num país muito sério.
Por aqui as pessoas são honestas.
Por aqui o trabalhador é beneficiado.
Por aqui o justo é recompensado.
Por aqui as pessoas se tratam bem.
Por aqui as coisas tem cabimento.
Por aqui as leis são criadas para o progresso.
Por aqui as leis são cumpridas por todos e fiscalizadas adequadamente.
Por aqui tudo funciona como deveria, funciona de maneira suave e eficaz.
Por aqui nosso governo é justo.
Por aqui a democracia está bem estabelecida, não sofre ameaças.
Por aqui os governantes pensam no progresso da nação e no bem da população.
É um país maravilhoso!
Um país onde ser flanelinha foi legalizado como profissão.
Um país onde o diploma de jornalista não vale nada.
Um país onde existem leis contraditórias.
Um país onde o presidente toma atitudes inconstitucionais. Onde as decisões são inconstitucionais. As novas leis decidem ter poder por si próprias e funcionam retroativamente de forma prejudicial.
Um país onde todos são espertos e tentam tirar proveito dos outros.
Um país onde só se constroem obras que terminam em quatro anos. Onde tudo que se faz tem por objetivo de conseguir publicidade política para a próxima eleição.
Um país onde ganhar as eleições nem é tão difícil assim! Basta instaurar um sistema que alimenta a si próprio. Como? Incentive o povão a se reproduzir. Incentive o povão a não estudar ou trabalhar, dando bolsas e mais bolsas. Dê comida, dinheiro, moradia. De graça? Er... mais ou menos. É de "graça" pra mostrar como tu é bonzinho e que "não custa nada receber uns votos em retribuição", né? Quanto mais ignorantes compráveis existirem, melhor!
Um país onde errado é quem trabalha, quem não rouba, não sacaneia.
Um país onde aqueles que estão no poder roubam milhões, debocham de CPI's e saem ilesos. Onde a maior penalidade que se tem para estes sujeitos é perder o cargo, ficar quieto por uns anos e voltar a se candidata uma ou meia década depois. Prisão? Prisão é pra quem quer formar quadrilha, ter celular, controlar um bocado do país, ter luxos, festas que "ninguém viu", ser intocável. E o que acontece com aqueles que roubam um pão e leite na padaria? Levam tiro na cabeça por trás de uma viatura. Justo!
Um país onde se tentou desarmar o cidadão através de plebiscito. Falhou, e agora? Tranqüilo! Basta instaurar na camufla políticas pró-desarmamento.
Aprendeu a lição? Ótimo! Agora aplique para todas áreas que convir. Destruir a liberdade de expressão? Dá também! Conseguir apoio popular com migalhas? BARBADA!
Mas... tudo isso, não entendo. Qual o objetivo?
Será que tirar as armas, liberdade de expressão e ganhar o apoio das massas tem um objetivo?
Já ouvi essa história antes. Quem mesmo? Só não entendendo NADA de história pra não perceber.
Ah, mas isso já temos! A maioria da nação já foi debiloidizada o suficiente!
E quem não foi?
Acabou por aderir a uma mentalidade individualista, de se preocupar somente consigo e de ser totalmente alienado (ora, eu admito, sou bem alienado!).
Sem vínculos, sem união, sem força.
E os que restam? Temos os preguiçosos demais para fazer algo, os que acham que não podem mudar nada, os que são tachados de "paranóicos", os que futuramente sumirão e aqueles que desistem e vão embora do lodo.
É, isso que é país sério! Tenho muito orgulho de ser brasileiro!




Postado por Ricardo Ceratti.